Como fazer plano de ação? Essa é uma pergunta que praticamente todo gestor já se fez, uma hora ou outra. Muitas vezes, porém, falta clareza para entender o que, afinal, é essa atividade e por que é tão importante.

Primeiramente, esse conceito está ligado à presença de um documento que contém todo o planejamento do trabalho necessário para atingir os objetivos de uma empresa. Antes disso, porém, é essencial que se faça o diagnóstico da gestão da companhia, para saber os pontos altos e os que precisam de aprimoramento.

Com tudo isso em mãos, a organização pode avançar de maneira muito mais eficiente rumo às suas metas. Neste artigo, vamos explicar como fazer plano de ação e detalhar as ações necessárias para que os resultados sejam positivos. Acompanhe o passo a passo!

1. Definir os objetivos do plano

Uma caminhada sem objetivos transparentes não leva você e o seu empreendimento muito longe, não é mesmo? Por isso, antes de fazer o plano de ação, trace as metas que deseja alcançar com ele e não se desvie delas.

Saber aonde quer chegar ajudará você a escolher as melhores estratégias para obter os resultados que almeja. Portanto, pense em tudo o que é importante para o seu negócio e o que fará com que ele se desenvolva ainda mais para poder se organizar bem.

Não se esqueça de destacar as metas mais relevantes nesse processo. Em todo o tempo, foque não somente nos objetivos em si, mas no porquê de ser importante que a empresa os alcance. Entenda o que realmente se encaixa no seu negócio e lute por isso.

2. Elaborar um cronograma das ações

Sim, você já sabe o que, de fato, deseja para o futuro do empreendimento. Isso já é de grande valia para que o seu plano de ação realmente dê certo. No entanto, somente esse conhecimento não basta. Além de definir quais são os resultados que a empresa deverá ter e o que fazer para chegar lá, você também precisa estabelecer um cronograma das ações.

É necessário deixar claro para todos os envolvidos no processo o que e quando deverá ser feito. Nessa fase, não se esqueça de que é importante fazer um cronograma realista. Por mais que o desejo seja por resultados rápidos, muitas ações exigem um tempo maior para serem executadas de maneira efetiva.

Identifique o tempo que é necessário para cada atividade, com base inclusive no que já foi realizado antes, para só então montar o cronograma. Em muitos casos, a ausência de clareza em relação ao assunto faz com que o calendário não seja cumprido por pura falta de possibilidade.

3. Estabelecer os prazos de entrega

Ainda falando da importância de ter um calendário eficiente, além de definir quando as ações do plano serão realizadas, estabeleça o prazo em que cada uma delas deve ser entregue de maneira completa.

Essa etapa é essencial, pois, por mais que você e os colaboradores tenham um cronograma para realizar as ações, sem um prazo para entrega, ele pode acabar não sendo cumprido eficientemente.

As obrigações do dia a dia podem sufocar as atividades do plano de ação se essa medida não for tomada, atrasando todos os procedimentos e fazendo com que os bons resultados fiquem mais distantes.

Ressalte a importância de as pessoas verdadeiramente se comprometerem com os prazos, sob o risco de haver diversos prejuízos para a organização.

4. Monitorar a execução das atividades

O seu plano de ação está ótimo? Isso já é um excelente caminho rumo ao sucesso. Porém, por mais que ele tenha ficado exemplar, não quer dizer que tudo dará certo. Isso porque o trabalho ainda não acabou, pelo contrário. Como muita coisa ainda será implementada, é fundamental que haja um acompanhamento de tudo o que está sendo feito.

Fique atento à execução das atividades. É dessa maneira mesmo que elas estavam previstas? Um passo importante é criar indicadores de desempenho para as tarefas e verificá-los diariamente.

Procure por erros para que possa corrigi-los em tempo hábil e, assim, dar seguimento ao plano de ação.

5. Checar as atividades nas fases de encerramento do plano

Uma checagem final é sempre muito importante. Por mais que todo o processo tenha sido monitorado, ao fim, você deve fazê-la para medir os resultados e verificar se realmente o plano de ação foi seguido à risca.

Analise ponto a ponto e seja bastante criterioso. Cheque todos os elementos, verifique mais uma vez os indicadores de desempenho, observe se não está faltando nada e guarde todas as informações relevantes.

6. Avaliar as ações

A parte que envolve como fazer plano de ação já foi toda realizada. Agora, chegou o momento de avaliar não só o cumprimento das atividades preestabelecidas, mas o que elas trouxeram de bom para a empresa.

As escolhas por determinadas tarefas em detrimento de outras foram acertadas? Os objetivos foram, de fato, alcançados, ou até mesmo superados? O que você e os demais colaboradores puderam aprender com todo esse processo?

7. Dar feedback aos envolvidos

Não guarde só para você tudo o que foi aprendido e nem comemore os acertos ou lamente os possíveis erros sozinho. Como fazer plano de ação envolve toda uma equipe, chame-a e dê a ela um feedback.

Seja bem claro e gentil nesse momento. Elogie o esforço de cada um e os resultados positivos que foram obtidos. Mostre o quanto eles serão benéficos para o desenvolvimento da empresa e, consequentemente, para o crescimento pessoal e profissional de todos.

Caso algo não tenha sido satisfatório, exponha o que não deu certo. Identifique e explique as razões de alguns pontos não terem saído conforme o esperado e mostre o que pode ser feito para contornar essa situação e para que ela não se repita.

Viu só como fazer plano de ação não é uma tarefa difícil? Além de o passo a passo ser simples, ainda faz com que a empresa mantenha o foco nas atividades que precisam ser realizadas, garantindo maior produtividade.

Gostou deste artigo? Quer ter bons resultados como os mencionados aqui? A FNQ oferece a MENTORIA, que é um acompanhamento da implementação dos planos de ação. Entre em contato conosco e saiba como!

Escreva um comentário

Share This