Assistir a filmes é uma ótima maneira de relaxar e se divertir. Às vezes, porém, a sétima arte pode nos proporcionar oportunidades de aprendizado, que fazem a diferença na sua atuação no mercado.

Neste artigo trazemos uma lista com 6 filmes sobre gestão de pessoas que todo profissional de recursos humanos deve observar para se inspirar, resolver problemas para contratar o candidato certo, motivar os funcionários, melhorar o engajamento dos profissionais, reter talentos e lidar com questões de oportunidades iguais. Acompanhe!

1. O Diabo Veste Prada

Em “O Diabo Veste Prada”, vemos um exemplo clássico de abuso de poder, com um improvável resultado positivo para o personagem central no final do filme.

O filme começa com a aspirante a jornalista, Andrea Sachs – ou, simplesmente, Andy – sendo entrevistada e aceitando o trabalho de assistente pessoal júnior da poderosa e temida Miranda Priestly, editora-chefe da revista de moda “Runway”, apesar de sua falta de conhecimento e entusiasmo para a indústria.

Andy imediatamente se choca com a cultura da empresa e se destaca como um polegar dolorido entre seus colegas de moda – particularmente com a assistente sênior de Miranda, Emily.

Muito mais preocupante do que essa vigilância cultural gritante é o ambiente de trabalho tóxico criado por Miranda, que trata sua equipe com desprezo – jogando o casaco na mesa de Andy todas as manhãs sem aviso prévio, por exemplo. Miranda tem plena consciência do poder que tem dentro da empresa e do setor como um todo e garante que sua equipe também saiba disso.

No primeiro dia de Andy, Emily menciona que as duas últimas garotas que ocuparam o cargo de assistente júnior foram demitidas depois de apenas algumas semanas – um indicador precoce das expectativas excessivamente altas de novas contratações e uma aparente ausência de integração ou gerenciamento de desempenho. Mais tarde, no filme, vemos Miranda preparando Andy para uma tarefa que ela acredita que só pode falhar.

2. Moneyball: o homem que mudou o jogo

Na temporada de 2002, uma equipe de beisebol da segunda divisão da liga do país conseguiu uma série de 20 vitórias consecutivas, estabelecendo um novo recorde na Liga Americana.

Embora a equipe tenha começado a temporada com 11 derrotas consecutivas, o que levou ao sucesso foi a história de “Moneyball“, um filme inteligente, intenso e comovente que não fala somente sobre esportes, mas sobre a relação entre a intuição esportiva e as estatísticas. Mesmo não sendo um fã de beisebol, é fácil admitir que este filme é realmente sobre gestão de pessoas.

Billy Beane aprendeu que, usando os dados com astúcia, ele poderia construir uma equipe de alto desempenho por uma fração do custo de seus concorrentes. Ele aposta contra a tradição e em favor da análise numérica para demonstrar que um computador pode montar uma equipe melhor que o instinto humano. O RH estratégico não tem tudo a ver com isso?

3. A Rede Social

A maioria de nós agora conhece a história do Facebook e seu criador, Mark Zuckerberg, graças a essa adaptação feita para o cinema. O filme brilhantemente tece a vida e os momentos de Mark como um estudante universitário, invadindo o arquivo de dados de estudantes de Harvard para obter imagens para seu site – até então, Facemash -, dando a ele uma ideia para desenvolver o gigante da mídia social.

A ideia aqui é simples: os hackers não são mais apenas alguns intrometidos mais jovens, eles estão sendo contratados por gigantes globais como Apple, Facebook e Microsoft por suas “habilidades reais”. Há uma razão pela qual hackathons se tornaram tão populares, por exemplo, porque testam habilidades e talentos reais.

Um grande diferencial para recrutadores de RH de filmes como “A Rede Social” é que eles trazem inovação para a contratação. Julgar um candidato meramente com base nas credenciais listadas em seu currículo ou entrevistá-lo provavelmente levará você de volta ao ciclo de contratação errado.

4. Os Estagiários

Este filme conta a história de dois vendedores que começam a trabalhar como estagiários no Google. Para garantir o lugar, eles precisam entrar em uma competição com outros candidatos. No começo, eles encontram dificuldades devido à grande diferença de idades e conhecimentos entre eles e a nova geração. No entanto, no final, eles podem aprender com os mais jovens ao mesmo tempo que os mais jovens aprendem com eles.

A lição a ser retida aqui é bem simples: valorize o conhecimento da sua equipe. Apesar da posição de gerência que você ocupa, você deve levar em conta que todos têm algo a ensinar e que você pode aprender muito com seus funcionários. Incentive o compartilhamento de ideias e conhecimentos entre os funcionários, pois eles se sentirão mais motivados para evoluir e trabalhar melhor.

5. O Jogo da Imitação

Este é um filme baseado em fatos, que apresenta a história do anti-social matemático Alan Turing, famoso por ter uma inteligência acima da média. O contexto da narrativa se passa durante a Segunda Guerra Mundial, período em que o governo britânico contratou um time na intenção de decodificar um código utilizado pelo exército alemão para transmitir suas mensagens de guerra.

O que o filme traz de lição é que, basicamente, o trabalho em equipe é essencial e não desistir diante da adversidade é a mensagem mais importante que você deve passar para os profissionais que trabalham com você. O filme também nos mostra a importância de usar sistemas de processamento de dados, indispensáveis na atualidade.

6. Divertidamente

“Divertidamente” é uma animação sobre como vivenciamos as coisas de formas diferentes à medida que crescemos, mas é também uma visão fantasticamente maluca e perceptiva da dinâmica do local de trabalho e da natureza da colaboração – especialmente com aqueles com quem não entendemos ou nos relacionamos.

O filme conta a história de uma garota de 11 anos, chamada Riley, cujas cinco emoções personificadas: “Tristeza”, “Medo”, “Raiva”, “Repulsa” e a autonomeada líder, “Alegria”, tentam guiá-la enquanto ela se muda para uma nova cidade com seus pais.

“Alegria” é o que você pode se referir como uma estrela e, embora ela seja gentil e tenha o sucesso da operação – os melhores interesses de Riley – no coração, ela vê suas próprias contribuições como mais importantes do que as de seus colegas.

Em um esforço para proteger Riley da influência de “Tristeza”, depois que ela começa a assumir um papel mais ativo após a mudança, as duas emoções são inadvertidamente forçadas a trabalhar juntas para encontrar um novo equilíbrio.

Aprender por meio do entretenimento pode ser uma das maneiras mais prazerosas e satisfatórias de extrair excelentes reflexões e diagnósticos sobre os relacionamentos em um ambiente de trabalho.

As relações corporativas e os desafios enfrentados por um gestor estão longe de ser ficção, mas, sem dúvida, os filmes sobre gestão de pessoas – e o cinema, em geral – tem a capacidade de nos fazer refletir e buscar conhecimento para aprimorar as habilidades e nos tornarmos profissionais, a cada dia, melhores.

Ficou inspirado para colocar em prática todas os bons ensinamentos que esses filmes trouxeram? Siga-nos nas redes sociais e acompanhe outros conteúdos como este – estamos o Facebook, LinkedIn, YouTube e Twitter.

Escreva um comentário

Share This