Não há para onde fugir, a Indústria 4.0 chegou para mais do que revolucionar. Ela transformará nossos comportamentos em relação ao consumo e à produção. Esse efeito tem atingido diretamente indústrias e empresas do mundo todo. Agora, elas devem se aperfeiçoar cada vez mais.

De acordo com o Fórum Econômico Mundial de 2016, há sete países que estão entre os primeiros quando o assunto é indústria 4.0: EUA, Holanda, Cingapura, Finlândia, Noruega, Suécia e Israel. Infelizmente, o Brasil ainda se encontra bem distante das primeiras posições, situado no 72º lugar no ranking.

Esse dado, apesar de desanimador, indica o quanto é necessário que o setor empresarial brasileiro invista em inovações e procure se alinhar cada vez mais com a Indústria 4.0. Com o intuito de ajudar nesse processo, separamos as principais informações sobre o assunto. Confira!

Como foram as três revoluções industriais?

Antes de entrarmos no assunto da Indústria 4.0, precisamos explicar quais foram as três revoluções anteriores. Entenda!

Primeira revolução industrial

A primeira revolução industrial começou por volta da década de 1780. A invenção do tear mecânico e a máquina a vapor transformaram as estruturas de trabalho. Funções que antes eram feitas artesanalmente passaram a ser realizadas por máquinas. Essa revolução também se caracteriza pelo êxodo rural – a população, que até então vivia nos campos, passou a se deslocar para a cidade em busca de trabalho.

Segunda revolução industrial

Ocorrida durante a década de 1870 e caracterizada pelo início da produção em massa impulsionada pela invenção do motor de combustão interna, da química fina e da eletricidade.

Além disso, o plástico tornou-se um material bastante presente nas indústrias e tiveram início algumas mudanças na forma de produção: a agricultura passou a usar fertilizantes químicos e surgiu o modo de produção por linha de montagem. Essa época também marca o uso de automóveis e aviões pelas pessoas.

Terceira revolução industrial

Com início a partir de 1940, a terceira revolução industrial teve como características fundamentais a internet e a digitalização. Surgia, então, os primeiros computadores, os mainframes, capazes de ocupar um andar inteiro.

Algumas décadas depois, apareciam os circuitos integrados, os microprocessadores e os computadores pessoais. Tudo isso com a internet, que se tornava mais abrangente. Quase 30 anos depois, chegamos a mais recente revolução industrial: a indústria 4.0.

O que é a Indústria 4.0?

Devemos dizer que a internet e seu desenvolvimento, chegando a ter um alcance global, é uma das grandes impulsionadoras da indústria 4.0, junto, é claro, com a mobilidade, que hoje em dia não é mais uma exceção e sim, uma regra. Com esses dois fatores, desenvolver novas tecnologias para agilizar os processos de produção ficou muito mais fácil.

Em um primeiro momento, surgia o Big Data, a Inteligência artificial e o machine learning. Depois, vieram a computação em nuvem e a internet das coisas, os últimos pilares para consolidar a chegada da indústria 4.0.

Esses cinco elementos construíram os principais conceitos do que é a Indústria 4.0: digitalização e automatização completa do sistema de produção. Além disso, trouxeram mais velocidade, inovação e acesso às informações em tempo real. A partir de agora, as atividades industriais são muito mais colaborativas.

Quais são os princípios da Indústria 4.0?

No total, são 6 princípios que guiam a Indústria 4.0. Vamos conferir quais são!

Acompanhamento em tempo real

Uma das possibilidades que a indústria 4.0 trouxe para a produção é a análise em tempo real, ou seja, é possível examinar a fabricação no momento em que ela está acontecendo e enviar dados para a gestão sobre o ocorrido.

Aplicações como serviço

Nesse caso, especificamente, são os softwares que têm suas funcionalidades disponibilizadas como serviços para todos os funcionários. Assim, é possível padronizar atividades na empresa.

Modularidade

O planejamento da confecção em módulos é outro dos princípios básicos da quarta revolução industrial. Logo, é possível para a indústria se organizar de acordo com a demanda e ainda realizar previsões de possíveis contratempos externos ao negócio.

Descentralização

O gestor não precisa mais cuidar de todos os aspectos relacionados à análise da produção. Na indústria 4.0, as máquinas, além de receberem orientações e executarem comandos, também são capazes de fornecer dados sobre o fluxo de trabalho.

Interoperabilidade

A integração da Internet das Coisas e do sistema de gestão possibilita a comunicação com máquinas de qualquer lugar e utilizando qualquer dispositivo. Dessa forma, a fabricação pode ser agilizada sem precisar, necessariamente, de uma pessoa na sala de montagem, por exemplo.

Digitalização

A digitalização se refere à capacidade de instalar sensores em diferentes partes da empresa ou fábricas e conseguir coletar os dados e fazer a análise dos processos de produção de forma efetiva.

Quais são os principais impactos da Indústria 4.0 no mundo?

Veja a seguir alguns dos impactos dessa nova revolução ao redor do mundo.

Criação de novos modelos de negócio

Definitivamente, novos modelos de negócios começaram a surgir por causa da Indústria 4.0. A informatização de processos será cada vez mais a regra e as empresas daqui para frente serão capazes de gerar novos processos por meio de inteligência artificial e tecnologias imersivas.

Maior personalização dos produtos

A personalização de produtos já é uma realidade em nosso mercado. No entanto, conforme a indústria 4.0 alcança mais empresas, a tendência é a de que se torne um padrão. Com isso, os produtos podem ser feitos de acordo com o que o consumidor quer e precisa desde a primeira etapa de produção.

Maior exigência dos profissionais

A mudança em relação a como os profissionais trabalham será profunda. Muitos processos, que antes eram feitos por mão de obra humana serão executados por máquinas. Cabe aos profissionais não só se especializaram para realizar funções mais complexas como acompanhar essas inovações.

Como se preparar para as mudanças advindas da Indústria 4.0?

Inevitavelmente, as tecnologias que estão surgindo por causa da Indústria 4.0 transformarão profundamente as relações humanas com o trabalho e com o consumo. Por isso, as empresas precisam rever seus planos de negócios e procurar cada vez mais investir na incorporação dessas inovações.

Duas estratégias são importantes nesse caso: primeiro, investir na capacitação de seus profissionais para lidar com essas tecnologias e para serem capazes de efetuar atividades mais complexas e, segundo, investir em automatização dos seus processos.

Esperamos que esse texto tenha esclarecido todos os principais conceitos da Indústria 4.0. Quer ter acesso a mais conteúdos como esse e aumentar o seu conhecimento? Então, assine a nossa newsletter!

Escreva um comentário

Share This