Ocupar o cargo de gestor definitivamente não é uma tarefa fácil. O profissional precisa lidar com equipes, clientes, rotinas internas, além de ficar sempre de olhos bem abertos nos resultados. E por isso, para ocupar essa função, é fundamental desenvolver habilidades gerenciais.

No post de hoje, vamos falar um pouco sobre os principais caminhos que você pode tomar para desenvolver suas habilidades gerenciais e se tornar um gestor de sucesso. Abordaremos desde a definição de habilidades gerenciais até o acompanhamento de resultados. Vamos conferir cada uma delas?

Afinal, o que são habilidades gerenciais?

É preciso tomar cuidado porque, muitas vezes, os profissionais tendem a simplificar o conceito de habilidades gerenciais. Na maioria dos casos, acreditam se tratar apenas de qualificações técnicas, quando, na verdade, o termo é muito mais abrangente. Por conta disso, acabam focando em apenas um lado da moeda.

Na verdade, o conceito abrange, basicamente, três tipos de habilidades:

  • habilidades técnicas;
  • habilidades comportamentais;
  • mix entre habilidades técnicas e comportamentais.

As habilidades técnicas nada mais são do que aquelas que dependem de capacitação. Para realizar um bom planejamento, por exemplo, é preciso que o gestor conheça conceitos específicos sobre o tema e aplique as ferramentas mais apropriadas para que obtenha sucesso.

Por outro lado, as habilidades comportamentais estão ligadas a questões como o relacionamento interpessoal, códigos de ética e de conduta do profissional. Podemos dizer que o espírito de liderança, por exemplo, é uma das principais habilidades comportamentais de um gestor.

Por fim, temos, ainda, o mix de habilidades. Um gestor pode dominar todas as ferramentas de comunicação (habilidade gerencial), por exemplo, mas se não for um bom ouvinte (habilidade comportamental) não desenvolverá todo o seu potencial. Nesse caso, as competências são interdependentes, daí a ideia de mix.

Quais são as habilidades mais requisitadas entre os líderes?

Nós já separamos as habilidades em três grandes grupos, mas agora é chegado o momento de conferir cada uma delas. Desde já, entenda que não existe hierarquia entre as habilidades, pois todas são complementares e auxiliam na melhoria dos resultados. Confira!

Planejamento

Claro que o primeiro traço é o planejamento. Um bom líder deve ser capaz de desenvolver metas e objetivos para atender a prazos e otimizar o tempo. Além disso, quem sabe montar um bom planejamento consegue gerenciar melhor os recursos e orientar as equipes.

Comunicação

Embora seja importante dominar as ferramentas de comunicação, o que queremos dizer com comunicação aqui é a transmissão clara e objetiva de ideias, principalmente para as equipes. O gestor deve sempre se fazer entender e compreender os outros.

Senso de análise

A capacidade de interpretar e analisar informações diferentes é fundamental para o líder. O senso de análise nada mais é do que a capacidade de pensar fora de caixa e ter flexibilidade para pensar em soluções diferentes para cenários diferentes.

Influência

Ao desenvolver essa habilidade, o gestor é capaz de influenciar a conduta dos colaboradores, principalmente, dando o exemplo. É um dos primeiros passos para assumir a liderança na organização, assim todos se comprometem e é formado um time coeso e harmônico.

Motivação

Outro ponto que requer destaque é a motivação. Um bom gestor não só é motivado para conquistar os objetivos, mas também é capaz de promover esse espírito entre os colaboradores. Essa é uma habilidade complementar à influência, pois é o que garante que todos caminhem no mesmo sentido.

Foco em resultados

Para fechar, a habilidade que faz um elo com todas as outras e as mantém coesas é o foco em resultados. O gestor deve ser capaz de conquistar os objetivos e as metas que definiu, além de envolver todas as equipes para que alcancem esse nível. Para isso, acompanhar métricas, passar feedbacks e ter uma boa visão de negócios é indispensável.

É possível desenvolver essas habilidades ou elas são inerentes ao indivíduo?

Como mencionamos na nossa introdução, existem aqueles que acreditam que as competências são inatas, mas a corrente majoritária acredita que é possível trabalharmos maneiras para desenvolver habilidades gerenciais. O fato é que ambas as ideias estão certas.

Não podemos negar que existem líderes natos. Normalmente, esse traço é apresentado desde cedo e, na maioria dos casos, esse profissional não precisa desenvolver habilidades comportamentais, apenas as técnicas.

Por outro lado, existem os líderes por experiência. É inegável que a sabedoria transforma a maioria das pessoas e, é claro, elas acabam se tornando uma referência para os outros. No entanto, mesmo com a maturidade, esse tipo de líder precisa de ajuda para se desenvolver como um verdadeiro gestor.

Para fechar, nós temos ainda a figura do líder potencial. Às vezes, ele adquire essa posição de maneira informal, seja pela experiência ou por qualidades inatas, no entanto, ainda não exerce a liderança em sua plenitude. É preciso apostar nele com algumas ferramentas, como o coach, feedbacks 360 º, entre outros.

​​Quais os caminhos para se tornar um gestor de sucesso?

Independentemente da origem dos traços de liderança, o mais importante é desenvolver um bom caminho para o sucesso. Para fazer isso, você pode seguir quatro passos básicos. Vamos conferir cada um deles?

Trabalhar o desenvolvimento

Um bom líder não pode se contentar com o status quo, caso contrário, inevitavelmente suas competências se tornarão defasadas. Além disso, é preciso que ele desenvolva a própria equipe. Ferramentas como o feedback e os treinamentos são fundamentais para isso, mas é preciso acompanhar sempre as tendências do mercado.

Ter clareza nas estratégias

Nesse caso, não estamos falando do planejamento estratégico, mas de uma visão mais ampla a respeito da organização. No caso, estamos falando da visão, da missão e dos valores do negócio. Quando o gestor tem tudo isso na cabeça, consegue alinhar o discurso e a prática.

Medir resultados constantemente

O acompanhamento de resultados também é uma boa forma de manter o desenvolvimento. No caso, é interessante verificar questões como a qualidade da entrega, os prazos e, o que também é importante, a tempestividade, que é a capacidade de fazer tudo no tempo acordado.

Preparar a sucessão

Ninguém é ou deve ser insubstituível. No final das contas, é a organização que deve ser a referência, o padrão para os colaboradores. Por isso, é muito importante não só preparar líderes para uma eventual substituição, mas também planejar sempre o desenvolvimento de novas lideranças para manter o padrão de qualidade da empresa.

Em resumo, não importa se são habilidades inatas ou adquiridas, se é preciso desenvolver habilidades técnicas ou comportamentais. Um bom gestor procura se manter sempre atualizado, focado no futuro e preocupado com o bom desempenho da sua equipe. Desenvolver habilidades gerenciais é, portanto, um projeto profissional.

Se você gostou das dicas deste post, compartilhe-o nas redes sociais para que mais pessoas possam conferi-lo!

*Colaboração de Marcos Aurélio Travassos de Oliveira

1 Comment

Escreva um comentário

Share This