O Programa Brasileiro de Gestão para Competitividade (PBGC) nasceu de uma urgência. Com os governos mobilizados para criar um ambiente de produtividade, geração de empregos e competitividade no País, as empresas precisam se preparar não apenas para contribuírem com os avanços, mas também para colherem os seus benefícios.

A Fundação Nacional de Qualidade (FNQ) encabeça o projeto PBGC com o objetivo de criar um movimento nacional, envolvendo os setores públicos e privados. O conceito é partir dos fundamentos da gestão de excelência para alcançar, sistematicamente, os padrões de eficiência, eficácia e qualidade requeridos pelos desafios que estão por vir.

Neste conteúdo, abordaremos o que é o PBGC, qual a sua importância e quais serão os passos daqui para frente. Continue a leitura e entenda como o projeto pode contribuir para que a sua empresa esteja preparada para as mudanças políticas e econômicas do País.

Saiba o que é o Programa Brasileiro de Gestão para Competitividade

A iniciativa é consequência das movimentações no sentido de aprovar reformas e criar um ambiente favorável à produtividade, competitividade, eficácia, eficiência e
geração de empregos. O foco é a parceria entre governos federal, estaduais e municipais e empresas no sentido de promover as melhorias necessárias para atingir o desenvolvimento econômico, que é de interesse desses entes e da sociedade.

Nesse sentido, a FNQ forneceria o conhecimento técnico para a implementação dos fundamentos da gestão de excelência em um programa nacional destinado à melhoria sistemática da gestão no País. Isto é, em vez de cada organização pública ou privada tomar providências individuais e desconectadas com o todo – o que deixaria os resultados bastante aleatórios – busca-se a mobilização em torno dos padrões adotados pelas melhores organizações.

Esse suporte seria dado por meio do Modelo de Excelência da Gestão® (MEG). Assim, as partes teriam acesso à metodologia de gestão e à plataforma de diagnóstico com a vantagem de ser um sistema aberto, ou seja, que não é propriedade privada de nenhum grupo e que evolui com a contribuição coletiva dos interessados no seu desenvolvimento.

A execução do Programa Brasileiro de Gestão para Competitividade (PBGC) se dará considerando esses fatores, em duas etapas:

  1. a primeira é o lançamento para mobilização do Presidente da República, dos ministros e governadores;
  2. a seguir, o projeto será disseminado por Estados e municípios, com a capacitação das entidades para que elas conheçam as práticas de excelência e saibam como qualificar outras organizações, tornando-se multiplicadoras.

Entenda o motivo da criação do PBGC

Os porquês do projeto estão intimamente ligados ao contexto político-econômico atual e à própria história da FNQ. Veja um breve panorama!

Final dos anos 80 e início dos anos 90

Na abertura comercial do Brasil, havia o questionamento se a entrada de produtos estrangeiros não significaria a morte da indústria nacional, devido à falta de condições internas para competir com os métodos e condições existentes lá fora.

Governo e empresariado criaram, então, o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade (PBQP) para qualificar os empreendimentos brasileiros. A FNQ nasceu justamente da contribuição da iniciativa privada com esse movimento e era composta por 39 presidentes de empresas, como IDM, Serasa e Gerdau.

O projeto gerou uma mobilização nacional. Empresas de todas as partes buscaram melhorias, com ênfase na ISO 9000. Assim, o Brasil teve uma grande motivação para vender seus produtos, inclusive no exterior, inciando a trajetória nacional de exportação.

Passado recente

Na última década, o Brasil não conseguiu acompanhar o elevado padrão de desenvolvimento econômico e bem-estar socioambiental alcançado por diversas nações. Além disso, recentemente, o País mergulhou em crises éticas, econômicas, sociais e políticas, sofrendo um grande desgaste em sua imagem como ambiente de negócios.

Um dos diversos motivos para isso foi a falta de mobilização e organização do empresariado. Diferentemente do que ocorreu na década de 90, os empresários perderam a capacidade de mobilização e buscaram muitos incentivos setoriais, sem considerar os efeitos no todo.

Contexto atual

Com a perspectiva de reformas estruturais, veio a ideia de lançar o Programa Brasileiro de Gestão para a Competitividade (PBGC). O resgate da mobilização nacional em prol do desenvolvimento econômico, envolvendo setores público e privado, será fundamental para virar a página e mudar os rumos da década passada.

O grande problema da nossa competitividade é que temos baixa produtividade e um ambiente de negócios que não é favorável à exportação. Cargas tributárias elevadas, insegurança e burocracia não geram as condições ideais para se fazer negócio.

Por isso, o programa cria uma convergência importante. O trabalho de melhoria da gestão e produtividade das organizações caminhará em conjunto com os avanços de ambientação e condições de negócios promovido pelas reformas. Dai a importância do PBGC.

Conheça as prioridades do PBGC

A prioridade do programa, nesse momento, é a mobilização das esferas públicas e privadas para que seja possível executar e validar o documento. Essa validação viria da adoção do modelo e da apresentação de resultados. Espera-se, com a implementação, alcançar o seguinte:

  • maior produtividade e competitividade no País;
  • aumento de produção e vendas;
  • geração de empregos;
  • crescimento da renda da população;
  • estímulo à inovação;
  • busca de bem-estar.

Você pode conhecer o programa mais a fundo e ter acesso ao documento completo em nosso informe de lançamento.

Veja como está o desenvolvimento do PBGC

O cronograma é fechar o documento até o final de junho e focar o segundo semestre na execução do projeto. Assim, a validação do programa ocorrerá em conjunto com o movimento de aprovação das reformas necessárias para o desenvolvimento econômico. Veja o que será feito.

Lançamento

O lançamento ocorrerá com a aprovação do texto final, em que se buscará a transformação do PBGC em programa oficial do Governo Federal. A partir de então, a ideia é criar um Comitê Gestor e definir as instituições públicas e privadas parceiras, além de realizar lançamentos a nível nacional e estadual, sempre com a presença de autoridades dos poderes.

Execução

Para tirar o plano do papel, será realizada a qualificação de entidades multiplicadoras nos Estados e municípios com a elaboração de materiais de capacitação, workshops com coordenadores, entre outras medidas. Além disso, haverá um grande trabalho para incorporar indicadores e mecanismos de diagnóstico para monitorar e avaliar os resultados.

Sendo assim, o Programa Brasileiro de Gestão para Competitividade (PBGC) criará um ciclo virtuoso, aliando as condições mais favoráveis promovidas pelas reformas com os fundamentos da gestão de excelência. Logo, teremos condições de alcançar o ambiente de produtividade, geração de empregos e competitividade desejado por todos.

Para acompanhar as novidades e ficar por dentro das melhores práticas de gestão, assine nossa newsletter e receba conteúdos ricos!

Colaboração de Jairo Martins, presidente executivo da FNQ

Escreva um comentário

Share This