Uma boa gestão deve equilibrar as estratégias de negócio para se destacar no mercado e a qualidade de vida no trabalho, a fim de manter os melhores profissionais atuando dentro da empresa, sem perder o foco no bem-estar funcional, na produtividade e, consequentemente, no lucro.

A empresa, para atrair grandes talentos, deve oferecer diferenciais competitivos, mas essa condição está atrelada à capacidade produtiva e ao engajamento de um time. Percebeu que é uma troca fundamentada no compromisso e interesse mútuo de unir esforços para manter a empresa em destaque no mercado?

Neste artigo, vamos abordar a importância da qualidade de vida no trabalho e como ela impacta positivamente os resultados quando promovida de forma coerente e pautada em uma cultura inovadora de coletividade e liberdade de expressão.

Qual é a importância da qualidade de vida no trabalho?

Um time desmotivado tende a oferecer baixo rendimento e esse comportamento pode se prolongar por tempo além do previsto, com reflexos negativos caso a empresa não tome ação efetiva. Também afeta, inclusive, a entrega de um bom resultado e o atendimento ao cliente.

Muitos fatores podem acarretar a falta de comprometimento e a mudança de performance do funcionário. Por isso, a empresa deve estar atenta às variáveis causadoras, a fim de identificar se é a responsável, total ou parcial, pelo descontentamento da equipe.

É fundamental que a empresa demonstre preocupação com o ambiente de trabalho e com a satisfação de cada funcionário que atua dentro dos projetos ou atividades. Com esse mapeamento é possível descobrir um profissional certo desempenhando as atividades erradas e vice-versa.

Se a definição de qualidade de vida conecta as sensações de euforia e felicidade individuais sobre alguns aspectos da vida, com o sentido amplo de realização, a extensão desse contexto para o trabalho une os valores culturais e filosóficos, fundindo-se aos interesses da empresa.

Portanto, é recomendável que a empresa ofereça uma série de possibilidades e benefícios para atender às diversas expectativas, direcionando os resultados individuais para um efeito coletivo e duradouro.

Como incentivar a qualidade de vida no trabalho?

Cada profissional, para manter a fidelidade corporativa, precisa sentir que é peça fundamental dentro da empresa e que há um movimento de gestão pautado na manutenção do quadro e nas melhorias contínuas – pessoais e processuais.

Foi pensando nas dificuldades enfrentadas por muitas empresas para manter o time sempre motivado e engajado que selecionamos algumas estratégias que a gestão pode utilizar como alternativa para elevar o grau de entusiasmo dos funcionários. Confira!

Oferecer benefícios

Os benefícios são complementos do salário, que auxiliam nas despesas mensais do funcionário. Se ele não precisar desviar um valor para custeio de alimentação, plano de saúde, creche e estudos de forma integral, trabalhará com mais leveza e disponibilidade.

Estimular a prática de exercícios físicos

Se o corpo estiver são, as chances de melhorar a mente são grandes. Incentivar a prática de exercícios físicos é uma forma de demonstrar aos funcionários que a empresa se importa com seu bem-estar.

Promover a ginástica laboral diária, oferecer convênio em academias, além de criar campanhas de combate sistemático ao sedentarismo são boas alternativas motivacionais que impactam diretamente a qualidade de vida no trabalho.

Cuidar do clima organizacional

O clima organizacional diz muito sobre a cultura de uma empresa e como ela trabalha a comunicação interna e administra os conflitos e o relacionamento entre os funcionários. A harmonização dentro de um ambiente deve ter como foco principal a integração e o respeito às diferenças.

É possível aplicar pesquisas de clima que servem como termômetro e ajudam a medir a qualidade dos relacionamentos, do ambiente e como a empresa é percebida pelo time de funcionários. Um plano de ações corretivas deve ser criado com base nos dados coletados.

Promover treinamentos

Os treinamentos são um investimento na capacitação e no desenvolvimento de competências e também melhoram o desempenho das atividades. Lapidar o conhecimento de cada indivíduo favorece a atuação, tornando-o especialista e agente transformador.

Quanto mais a empresa contribuir para o crescimento profissional, melhor será a disposição dos funcionários em retribuir com um bom trabalho, o que ocasiona melhora e aumento da produtividade.

Adotar a flexibilidade de horário

O horário de trabalho, quando integral, é impeditivo de muitas ações da vida pessoal e a empresa que torna flexível a saída de funcionários para resolver pendências eventuais tem um ganho motivacional instantâneo.

A mentalidade engessada de algumas empresas não permite enxergar que há um paralelo associado entre a vida pessoal e a profissional, necessitando o funcionário de equilíbrio entre essas duas esferas para se sentir seguro e produtivo.

Reconhecer o trabalho do colaborador

Cada vez que um funcionário é elogiado e percebe que seu trabalho tem importância para a empresa, tratará de melhorar ainda mais o desempenho para fazer jus aos atributos impostos.

Isso não quer dizer que os elogios precisam ser constantes e diários, mas escolher o momento certo, não expondo as falhas em ambiente coletivo, é fundamental para manter o funcionário motivado no cotidiano.

Identifique os pontos fortes e evidencie para que o funcionário enxergue suas próprias potencialidades e também os pontos fracos a serem trabalhados, em prol de um melhor e mais completo perfil profissional. O feedback construtivo deve ser utilizado como ferramenta de gestão na retenção de talentos.

Mostrar ao time com clareza quais são as expectativas da empresa e o que se espera de cada um, com distribuição igualitária de tarefas e responsabilidades – conforme cargo e função, promove um conjunto de boas entregas e faz com que o reconhecimento seja melhor atribuído ao final de um projeto.

Não se pode imaginar que o funcionário já saiba que é considerado competente e bom cumpridor dos deveres. É fundamental que ele saiba pela empresa o papel importante que exerce nos processos e a melhor maneira de fazer isso é elogiar e reconhecer seus esforços, sem, contudo, deixar de repreender caso necessário.

Para finalizar, o capital humano é a riqueza de uma empresa, pois por meio dele é possível extrair os resultados esperados. Um funcionário satisfeito multiplica e contagia a todos com seu otimismo, inclusive os clientes.

Se o contrário acontece, cada vez que houver motivos para baixa na qualidade de vida no trabalho, isso será elemento de disseminação entre os membros da equipe, comprometendo a imagem e a permanência da sua empresa no mercado.

Você gostou deste texto sobre a qualidade de vida no trabalho? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter. Desse forma você vai receber as nossas atualizações na sua caixa de entrada e conferir mais posts sobre esse e outros assuntos interessantes!

Escreva um comentário

Share This